Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Nem o meu último dia do ano podia ser normal...!

Como a minha animosidade nestes últimos tempos, tem sido praticamente nula, a minha vontade de festa era equiparada. Por mim, tinha hibernado desde dia 23 de Dezembro de 2011 até ao dia 2 de janeiro de 2012. Mas como assim não podia ser, fiz o meu jantar de natal em família - e fiz árvore de Natal só por descargo de consciência - distribuiu-se a meia dúzia de prendas (literalmente) por nós e pronto.

( A árvore de Natal é o meu retrato: pequena e pobrezinha)
 

Dando seguimento a este estado de espírito que me vinha acompanhando (às vezes com lágrimas à mistura e tudo), resolvi que a minha passagem de ano seria na companhia do meu N e do pimentinha apenas.

Fiz um jantarzinho delicioso - que depois colocarei a receita no Tastelicious - regado com um vinho que me pôs quase bêbeda e uma sobremesa simples mas que fez as nossas pupilas gustativas bater palmas.

 

No último dia do ano, precisava de fazer umas últimas compras para poder confecionar o nosso jantar. Como o N. teve de ir tratar de umas coisas do carro, só pude ir de tarde. Mais precisamente ao fim da tarde.

E isto não seria nada de extraórdinário se fosse numa cidade onde não houvesse Corrida de São Silvestre!!!

À ida para o supermercado já havia polícia por todo o lado para começar a cortar o trânsito mas como as compras seriam rápidas não nos preocupámos.

 

Pegámos no cesto fomos para a caixa e ficámos lá uma eternidade. Já eu bufafa por todo lado, farta de estar ali à seca, quando pergunto ao N. porque é que o casal que estava na caixa estava a demorar tanto, se seria por algum preço engatado. E a resposta dele foi... estão preparados? De certeza? Olhem que é melhor sentarem-se... Bom, o motivo foi... TCHARANNNNNNNNN!!!!!

 

O casal tinha levado dois sacos com alguns dois quilos de moedas de UM CÊNTIMO e DOIS CÊNTIMOS para pagar a conta e trocar o restante por notas!!!!!!!!! Acham isto normal?!?

Só mesmo a mim para me acontecerem coisas destas! Reeeesmas de tempo à espera porque uns energúmenos que não têm respeito por quem está a trabalhar nem por quem espera, se lembraram, no ÚLTIMO DIA DO ANO, trocar os cêntimos que amealharam durante o ano inteiro!!!!

Não o podiam ter feito noutro dia ou numa hora mais calma? Pois, parece que não! E os supermercados não podiam fazer um aviso para que não houvessem situações destas nestes dias festivos? Pois, parece que não!

 

De compras pagas e aviadas, enfiámo-nos no carro. E a odisseia começou! Ruas principais já estavam fechadas, por isso, pensámos que ainda houvessem algumas ruas paralelas onde se pudesse circular e fomos à procura delas. Mas... nada! Já estavam todas cortadas.

Por cada polícia que passávamos, perguntávamos como podíamos ir para casa. a resposta era sempre a mesma: encostem o carro e esperem a corrida passar. Que coisa!

 

Resolvemos, então, procurar caminhos paralelos mas que - pensámos nós - estariam circuláveis. Nada, tudo cortado! Já estávamos a entrar em desespero. Nem conseguíamos chegar até casa da minha mãe e nem sequer ir para a nossaaaaa!!!

Demos voltas e mais voltas e, quando olhámos para o conta quilómetros já tínhamos feito 25 Km... sim, 25 kms só aqui às voltinhas para tentar chegar a casa!!!

 

Depois lembrei-me de tentarmos dar a volta por outro local. Acabámos por ir dar ao Metro e dar a mão à palmatória: fomos vencidos, não temos alternativa, vamos lá encostar o carro no parque.

Mas mesmo depois de todas estas peripécias, há sempre uma escapatória: com um olho no burro e outro no cigano que é como quem diz com um olho na polícia e outro na abertura do passeio que nos acenava mesmo à frente dos nossos narizes, e que nos permitiria entrar numa rua que nos levava a casa, acelerámos a fundo e só parámos à porta de casa! UFA!

 

Resta apenas dizer que nós, neste tempo todo, aproveitámos para treinar o Pimentinha a mostrar os dentes de forma ameaçadora aos senhores agentes da polícia com o intuito de os intimidar a deixar-nos passar. Mas escusado será dizer que não adinatou de nada...